Qual é o melhor prato da Confraria dos Chifrudos?

Animais


Fauna – comércio organizado

Ao lado do Mercado, há a conhecida feira de passarinhos que, assim como a comercialização de animais, é autorizada e regulamentada pelo Ibama. Nesse trecho, gansos, pavões, galinhas e pássaros de várias espécies formam com suas gaiolas o corredor da rua Luiz Agonia, próxima à praça de táxis. Porém, exposições de animais, rações e os mais diversos produtos também são encontrados lá. São cães, aves, peixes, coelhinhos das mais variadas espécies que cativam seus futuros donos com carisma. Eles são bem cuidados e todas as observações são postas nas gaiolas, incluindo justificativa da mudança das penas dos pássaros à indicações de não colocar a mão na boca dos animais nem alimentá-los. Tudo bem organizado.
Além dos utensílios como gaiolas, contêineres, aquários, alguns deles artesanais, onde é possível “flagrar” comerciantes fabricando seus próprios produtos para vendas, a exposição de animais é um evento que atrai bastante ao público, embora que no momento não há eventos em divulgação.

Encontros


Quatro amigos e um momento




Foi caminhando pelos corredores repletos de mesas e cadeiras plásticas que uma roda de amigos acenou pedindo uma foto. Eram Apanashe, José Filho, Arlindo e José Barreto animados para registrar o momento de descontração. Muito à vontade no bar do Jairo, a alegria das conversas expressava a sensação agradável de estar ali, após uma longa semana de trabalho, se divertindo. A mesa cheia preenchia o corredor, cujo extremo a movimentação era bem menor. Nesse trecho só era possível se deslocar na área próxima ao bar em uma via de mão única. Mas, o importante era o instante em que a tarde parecia longa e o calor “insuportável” amenizado pelas geladas bebidas que consumiam.
Arlindo é um dos amigos que costumam freqüentar o mercado que faz parte de momentos felizes das longas e recentes histórias de amizades. Assim como ele, outras pessoas estavam ali, curtindo momentos semelhantes expressando um mercado além das compras.
Foto: Michelle Ramos

Bons Amigos


Grandes amigos, grandes encontros




As tardes de sábado representam bons momentos de encontros. Velhos e novos amigos se reúnem, bebem uma cervejinha, conversa vai, conversa vem e curtem o clima gostoso que o Mercado da Madalena oferece. É durante o final de semana que repentistas, poetas e músicos expandem seu talento dando valor ao que há de mais regional. O cantor Eduardo Abrantes divulga seu trabalho freqüentemente lá. O clima é tranqüilo, preenchido vez por outra com gargalhadas de um público que se sente à vontade.
De acordo com um freqüentador assíduo, que se identificou apenas como Paulinho, “o mercado é o melhor lugar do mundo pra você beber, brincar, se divertir, de estar em casa”. Mesmo com a grande concentração de encontros na Confraria dos Chifrudos e no bar do Jairo, o Box Sertanejo também é outro ponto bastante movimentado, onde matutos interagem entre si e difundem a cultura pernambucana. O Mercado é um local que constrói grandes histórias e firma ótimas amizades. Quem vai, geralmente volta, quem não conhece, deveria ir e conferir de perto o que há de melhor oferecido, no Mercado, de nossa cultura nordestina.
Foto: Michelle Ramos

Movimento

Encontros & Encontros

O Mercado da Madalena apresenta uma ótima movimentação tanto em sua parte interna com na externa, principalmente aos finais de semana. Os boxes bastante freqüentados são a Confraria dos Chifrudos, o bar do Jairo e o Box Sertanejo, na parte interna e a praça de alimentação, na parte externa. Tanto na Confraria quanto no Box Sertanejo há sempre uma grande movimentação aos finais de semana devido às apresentações musicais e encontros marcados entre amigos. E não é raro encontrar quem diga que normalmente está por lá e que o importante é curtir os amigos e se divertir. O Mercado, além de ponto de encontro é uma feira de diversidade cultural que esbanja o que há de enriquecedor para a valorização de nossa cultura.

História


Uma longa história em poucas linhas




O Bairro da Madalena já foi uma zona açucareira rentável. Quando pela doação das terras recifenses, a área passou a Pedro Afonso Durol que era casado com dona Madalena Gonçalves Furtado foi implantado um engenho de açúcar, cuja propriedade ficou conhecida como Passagem de D. Madalena.
Foi em 6 de fevereiro de 1925 que foi construído o Mercado do Bacurau, hoje, Mercado da Madalena. Bacurau era um nome em menção a um pássaro madrugador e o local só funcionava à noite. Vale ressaltar também que sua inauguração só ocorreu em 19 de outubro, daquele mesmo ano, pelo governador Sérgio Loreto. Em 1960, o Mercado teve o piso reformado e por volta de 1982 foi restaurado. Atualmente, o espaço conta com 180 boxes oferecendo produtos diversificados. Em sua frente há um pórtico com o antigo brasão do Recife, a administração conserva sua estrutura original e o mercado funciona todos os dias, manhã e tarde, com exceção do dia de domingo em que é aberto apenas pela manhã.
Foto: Michelle Ramos

Gastronomia

Opção gastronômica de longa data

Há muitos anos, o Mercado da Madalena já era famoso por seu comércio de comidas típicas, como munguzá, tapioca e sarapatel. Após a reforma por volta de 1982, a fama estendeu-se a pratos como a buchada e a galinha de cabidela, além de diversos outros que fazem parte da cozinha pernambucana. De acordo com o site da Prefeitura da cidade de Recife, o Mercado ainda é ponto de encontro de boêmios que tomam a saideira e recuperam suas energias com um bom cuscuz com bode guizado e outras guloseimas da cozinha regional.
Não apenas na parte interna do Mercado, mas na parte externa, também há opções gastronômicas na praça de alimentação, que freqüentemente é lotada e funciona dia e noite reunindo pessoas de vários lugares e profissões em um só lugar. O amplo espaço apresenta uma ótima movimentação e costuma ser uma indicação para os que ainda não foram saborear os pratos oferecidos lá.

Produtos do sertão direto para a capital


video


Manteiga de garrafa, queijo do sertão, pimentas, doces, cachaça, livros, cds e muito mais além de um atendimento cordial e aconchegante. Box de Serra Talhada


Box Sertanejo

Uma ida ao Box Sertanejo

Próximo à Confraria dos Chifrudos, o Box Sertanejo apresenta a cultura regional através da divulgação musical, comércio de produtos alimentícios e bebidas diversas. No Box, a exposição de uma camisa do 2º Encontro de Sanfoneiros do Recife, além da literatura de cordel, típica da região. É nele que a música e poesias preenchem as tardes de sábado dos que freqüentam o Mercado. E além do arroz da terra, também conhecido por “arroz vermelho”, da rapadura e produtos com mel, livros e Cds fazem parte do que lá é comercializado.
O Box Sertanejo é conhecido como o local que reúne os matutos na cidade, mas é também onde artistas da cultura nordestina expõe seus talentos e divulgam seus CDs e trabalhos artísticos.

Seu Ely Madureira e o Whisk Zito

video

Seu Ely Madureira é um grande compositor e música de carnaval com vários CDs gravados. É também o criador do delicioso Whisk Zito. Sucesso de público no Mercado

Conhecendo Ely Madureira

Compositor e comerciante do box 87, localizado próximo à feira de passarinhos na rua Luiz Agonia, parte anexa ao Mercado, Ely Madureira acompanha a história do espaço há 20 anos e perseverante e sorridente apresenta com orgulho as fotografias de pessoas conhecidas que passaram por ali como a ex-prefeita de Olinda, Luciana Santos e o cantor Morais Moreira. Ele nos conta histórias interessantes como o surgimento do Whisk Zito, uma criação de muito sucesso no Mercado. Confira o vídeo!
Além de outras bebidas às quais comercializa, Ely apresenta seu trabalho com a música, suas composições integradas aos blocos carnavalescos. Demonstra que sua históra caminha paralelamente à do Mercado. Em seu Box é possível conhecer as duas histórias através da simpatia de Ely Madureira, grande artista e conhecido comerciante aos que passam por ali.

Vídeo: Confraria dos Chifrudos






video



Há 31 anos no Mercado Madalena, Seu Fernando é o proprietário da Confraria dos Chifrudos. Um bar " temático" que é parada obrigatória para tomar uma cerveja gelada e comer um cupim com macaxeira






Bem-vindos à Confraria dos Chifrudos

Como dizia uma das músicas do grupo Mamonas Assassinas: “Ser corno ou não ser...”. Bem, chifres à parte, lugar bom de curtir pratos deliciosos é a Confraria dos Chifrudos, tão bem administrada por seu Fernando. Provar ótimos pratos como o composto por macaxeira com cupim é saborear o que há de melhor da gastronomia no Mercado da Madalena. Sua localização é próxima à entrada lateral esquerda do Mercado, aquela junto à parada de ônibus – e é bastante famosa e freqüentada. A Confraria apresenta todo tipo de utensílios destinados ao “público corno”, que vai desde o chifre – confira o vídeo – ao sino (foto).
O ambiente é agradável e descontraído. Seu início deu a partir de uma brincadeira que tornou esse local tão popular atraindo pessoas de vários lugares que são indicadas a saborear os pratos típicos e saborosos da Confraria dos Chifrudos. Vale a pena conferir!




Foto: Michelle Ramos


































Vìdeo: É Gente do Brasil inteiro

video

Vídeo: Provando a cachaça

video

video

video

video

video

video

Exposição de Fotos do Mercado Madalena By Dani Mesquita


















































































































































































Vídeo: Comprando e tratando um polvo

video